Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Mercado de trabalho

O profissional formado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas poderá atuar em empresas de diversos segmentos de negócios em cargos como Projetista de Sistemas de Informação; Analista de Sistemas; Desenvolvedor; Administrador de Bancos de Dados e Gerente de Sistemas. Pode ainda atuar de forma empreendedora, constituindo sua própria empresa atuando como desenvolvedor de produtos de Software e aplicações para Internet.

Sobre o curso

O Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas tem a missão de fomento e garantia das necessidades de desenvolvimento acadêmico dos profissionais que atuem na área de informática, com vistas a trabalhar os aspectos práticos da área de análise e desenvolvimento de sistemas.

O curso se propõe a formar um profissional com capacidade de adaptar-se às mudanças sociais e a evolução tecnológica, e principalmente, qualificar profissionais capazes de atuar tanto no mercado de tecnologia como áreas afins, com possibilidades de prosseguir na Pós-Graduação, em áreas de pesquisa e desenvolvimento.

  • Duração: 2,5 anos – 5 semestres
  • Valores para 2018:
  • Horário: Noturno
  • Obs.: Taxas e Encargos a serem assumidos pelos alunos após vencimento: multa de 2%+1% ao mês
  • Diferenciais
  • Coordenação
  • Corpo Docente
  • Grade Curricular
  • Pesquisa e Extensão
  • Estágio

A Coordenação do Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UNDB está sob o comando do Prof. Bruno Seabra Nogueira Mendonça Lima, que possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade Federal do Maranhão (2008) e é mestre em Informática com enfâse em multimídia.

O Coordenador do Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas desenvolve atividades como docente, diretor e responsável técnico da empresa Intertech Serviços de Informática. Tem experiência em pesquisa, desenvolvimento de projetos, atuando há mais de 10 anos no mercado de computação e engajado em empreendedorismo.

Núcleo Docente Estruturante

  • Adriano Viana Pinto 
    Mestre em Ciência da Computação

  • Bruno Seabra Nogueira Mendonça Lima 
    Mestre em Informática

  • Pedro Brandão Neto 
    Mestre em Engenharia de Eletricidade
  • Pedro Henrique Carneiro 
    Especialista em Gerenciamento de Projetos
  • Rodrigo Monteiro de Lima 
    Mestre em Ciência da Computação

Grade curricular

  • Algoritmos e Programação 68h
  • Administração dos Sistemas de Informação 34h
  • Lógica Matemática e Computacional 68h
  • Homem, Cultura, Meio-Ambiente e Sociedade 34h
  • Sistemas Integrados 50h
  • Álgebra Linear 50h
  • Métodos e Técnicas de Pesquisa 34h
  • Cálculo Diferencial e Integral 68h
  • Interfaces com o usuário 34h
  • Arquitetura e Organização de Computadores 68h
  • Empreendedorismo 34h
  • Estrutura de Dados 50h
  • Comunicação e Expressão 34h
  • Legislação e Ética Aplicada à Informação 34h
  • Arquitetura de Sistema WEB 68h
  • Estrutura de Dados I 50h
  • Introdução a Sistemas Operacionais 68h
  • Introdução a Redes de Computadores 34h
  • Programação Orientada a Objetos I 68h
  • Sistemas de Banco de Dados 68h
  • Administração de Banco de Dados 34h
  • Administração de Departamentos de TI 34h
  • Gestão de Tecnologia da Informação 34h
  • Programação Orientada a Objetos II 68h
  • Qualidade em Sistemas de Informação 34h
  • Sistemas Lineares 34h
  • Segurança e Auditoria da Informação 68h
  • Análise de Sistemas de Informação I 68h
  • Arquitetura de Software 68h
  • Estatística e Probabilidade 68h
  • Gestão de Projetos 68h
  • Sistemas de Apoio a Tomada de Decisão 68h
  • Análise de Sistemas de Informação II 68h
  • Desenvolvimento WEB 100h
  • Engenharia de Software 68h
  • TCC 50h
  • Atividades Complementares 100h
  • Estágio Obrigatório 400h
  • Disciplina de Enriquecimento Curricular – DREC 34h

*A grade de disciplinas é referente ao semestre vigente e pode sofrer alterações de acordo com a modalidade (EAD, Presencial ou Flex) e unidade escolhida. Para maiores informações entre em contato conosco, os telefones estão disponíveis ciclando aqui.

PESQUISA

A pesquisa é operacionalizada pela Coordenação do Curso, sendo responsável por formular, fomentar, estruturar, organizar, coordenar e executar as atividades, por meio do Núcleo de Pesquisa e Extensão (NUPE).

O contato do acadêmico com a metodologia da pesquisa logo no primeiro período começa a qualificá-lo, desde cedo, para a prática investigativa. A metodologia de papers é outro incentivo para a produção científica.

Atenta à importância da consagração da pesquisa com a publicização dos seus resultados, a UNDB estimula, ainda, a participação de seus alunos e professores em Encontros Nacionais e Internacionais de pesquisa, tais como o Encontro da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC.

Para dar suporte às atividades de pesquisa, além da destinação de carga horária específica para a pesquisa aos professores, a UNDB investe maciçamente no seu acervo bibliográfico, adquirindo novos títulos, clássicos e de referência histórica. Há ainda, assinaturas de periódicos voltados para a área do curso.

EXTENSÃO

A extensão universitária deve conectar-se não só ao ensino e à pesquisa, mas também às demandas da sociedade, contribuindo na luta pela superação das desigualdades sociais existentes na região. Por esse motivo, os projetos de extensão podem originar-se de solicitação da comunidade, de acordo com suas necessidades.

A extensão de campo consiste em práticas que levam os estudantes e os profissionais às comunidades, em especial às de baixa renda, alijadas de direitos básicos de cidadania. Por intermédio dela é que a IES consegue, de maneira mais incisiva, promover o diálogo entre os saberes acadêmico e popular. A abrangência das atividades de extensão é ampla, englobando comunidades e entidades. Nos diferentes projetos de extensão, há em comum a tentativa de utilização das ferramentas produzidas na academia para alavancar as possibilidades transformadoras da realidade.

A outra forma de operacionalizar a extensão tem sido chamada de extensão acadêmica; essa modalidade permite à sociedade em geral participar diretamente do conhecimento produzido no Curso. Com a extensão acadêmica, possibilita-se ao estudante o acesso continuado às diferentes temáticas de interesse do profissional de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, operacionalizadas por meio de cursos, oficinas, palestras, jornadas, seminários, debates etc. Essas atividades, abertas à participação do público externo, representa um espaço importante para que a comunidade maranhense tenha acesso à produção acadêmica da UNDB. Os recursos arrecadados com a extensão acadêmica destinam-se ao financiamento das próprias atividades extensionistas do Curso.

A política de Estágio da UNDB, contemplada no PDI, está de acordo com as orientações elencadas no Art. 4º da Resolução CNE/CES nº 03, de 18 de dezembro de 2002, que define que os estágios supervisionados devem assegurar a consolidação e a articulação das competências estabelecidas, permitindo que conhecimentos, habilidades e atitudes se concretizem em ações profissionais.

No Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UNDB, o estágio é regido pelo Regulamento de Estágio, estando este em harmonia com a legislação em vigor sobre estágios, em especial a Lei 6.494/77 (com redação dada pela Lei 8.859/94) e com o Decreto 87.497/82, com as respectivas alterações.

O Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da UNDB possui carga horária de 350 horas concentrado nos últimos períodos do Curso, as atividades são acompanhadas por professores orientadores, sendo reservadas 40 horas para orientação ética e profissional e acompanhamento do desenvolvimento dos relatórios, além de visitas de campo na qual são observados os níveis de desempenho dos alunos no campo profissional.